Pipo

Paulistano, é músico, cantor e produtor musical, construiu em sua trajetória diferentes olhares sobre a música, tanto pelo ponto de vista da interpretação/criação musical como também na gravação e composição das obras.

Em 2014 lançou o disco “Mergulhar Mergulhei” seu terceiro álbum autoral que conta com sua produção e teve direção artística de Romulo Fróes. Esse registro foi gravado ao vivo com a banda que o acompanha em seus shows. Buscou-se uma construção coletiva rica e livre. São evidentes as aproximações que flertam diretamente com o jazz pois agregam em sua essência momentos para improvisação, captados em takes únicos e que não sofreram cortes nem edição posterior. Mergulhar Mergulhei recebeu excelentes críticas da imprensa evidenciando a “maturidade” que está sendo alcançada na obra de Pipo.

Em 2011 lançou o segundo álbum solo “Taxi imã” pela gravadora YB, produzido em parceria com o compositor e cantor Bruno Morais, sendo sucesso de crítica e público. Foi destaque em várias listas de jornalistas e blogs como um dos 10 melhores álbuns de 2011, inclusive na lista da MTV e UOL.

Em 2008 lançou o álbum “Intro” , seu primeiro trabalho solo autoral, no melhor estilo “do it yourself” feito em seu home studio. Com sonoridade delicada e mesclando sons eletrônicos com orgânicos, INTRO revela uma atmosfera de situações imagéticas, e reflete sensações sobre tempo e encontros em arranjos inusitados. Suas melodias fortes e os samplers escolhidos são as características deste primeiro álbum.

Em 2005, com o grupo Q Saliva gravou o disco “Dela” e seguiu em turnê pela Europa por seis meses, tocando em diversos clubes e festivais europeus como o antológico Paradiso (Amsterdã) e Supernatural (Utrecht – Holanda).