Pipo

Paulistano, é músico e produtor musical. Vem construindo em sua trajetória diferentes olhares sobre a música, tanto pelo ponto de vista de sua criação autoral como também da colaboração nos processos artísticos e técnicos da obra outros artistas.

Em 2018 lançou o single Comando Estelar trazendo nova sonoridade ao seu universo autoral. Nessa faixa Pipo abraça o mundo Sci-fi e se utiliza de diversos sintetizadores para decolar com sua nave numa atmosfera interestelar.

Em 2014 lançou o disco Mergulhar Mergulhei seu terceiro álbum autoral pela gravadora YB que conta com sua produção e teve direção artística de Romulo Fróes. Esse registro foi gravado praticamente ao vivo. Buscou-se uma construção coletiva rica e livre onde fica evidente a aproximação com a música instrumental. Mergulhar Mergulhei recebeu excelentes críticas da imprensa evidenciando “maturidade” no trabalho de Pipo.

Em 2011 lançou o segundo álbum solo Taxi imã também pela gravadora YB, ele produziu em parceria com o compositor e cantor Bruno Morais, misturando sonoridades brasileiras, latinas e matrizes africanas obtendo bastante êxito nas críticas especializadas e no gosto do público.

Em 2008 lançou o álbum Intro , seu primeiro trabalho solo autoral, no melhor estilo “do it yourself” feito em seu home studio. Um álbum com sonoridade delicada, mesclando sons eletrônicos com orgânicos, INTRO revela uma atmosfera de situações imagéticas e reflete sensações sobre tempo e encontros em arranjos inusitados. Suas melodias fortes e uso de muitos samplers são as características deste primeiro álbum.

Em 2005, com o grupo Q’Saliva gravou o disco “Dela e seguiu em turnê pela Europa por seis meses, tocando em diversos  festivais e alguns clubes europeus.